quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Prólogos de Personagens: Anão Guerreiro


                               Arte: boblea


Trraubon Primeiro
"...Atual líder do Reinado de Taganart, fundado por Kurak Trraubon, seu avô e pai de seu pai Trraubon Flagelo dos Orcs, localizado entre as florestas de All'ünil e os penhascos de Chapuvak antes dos desertos escaldantes do mar amarelo. Trraubon Primeiro, assim batizado por seu pai Trraubon Flagelo dos Orcs, por ser o primeiro dos filhos reais nascidos em seu atual reinado, hoje no auge de sua maturidade, é conhecido por vários povos como detentor da "maior honestidade já contada pelos livros de histórias". Um nobre e fiel senhor. Trraubon Primeiro apenas tem a preocupação de manter o reinado de Taganart no eixo. Seus guerreiros são treinados desde que atingem idade mínima, com o manuseio de machados e martelos de guerra, e aprendem que sua resistência e vigor físico são a maior de suas armas. Um velho ditado em suas muralhas diz que "um anão que é uma arma pode matar 100 orcs e depois cair de joelho, mas um anão que é uma rocha verá mil orcs ajoelharem-se perante sí!".


Durante a época negra e  as guerras da floresta do Sul, em que Trraubon Primeiro enfileirou seus guerreiros ao lado de humanos em defesa das terras destes e de suas montanhas que antes fora reinado de de seu avô Kurak Trraubon, pai de seu pai Trraubon Flagelo dos Orcs. Esta união ficou conhecida como União Continentina. Com uma vitória massacrante da união, esta aliança perdura até hoje sempre que as terras do Sul necessitam de seus filhos em sua defesa.

Hoje Trraubon Primeiro apenas vive em seu reinado de igualdade entre seus irmãos. A velha Taganart, o reinado pacífico, onde apenas alguns Orcs e Goblins arriscam-se além de seus domínios, e geralmente terminam por conhecer Stone, o machado de guerra da família Trraubon, onde reza a lenda que foi dado ao primeiro Trraubon, O Gigante, pelo próprio Heironeous, devido a sua fascinação pela coragem e a bravura de um ser tão pequeno!

Mas os presságios são de mau agouro. Sussurros na noite definem palavras como morte e tristeza. Homens falam em criaturas que movem-se furtivamente pelas sombras. Crianças desaparecendo, árvores morrendo e rios secando... 
Talvez seja enfim hora de ouvir o cantar de Stone ao esmagar o crânio de um Troll. Talvez seja hora de mais uma vez o grito secular dos anões serem ouvidos onde a desgraça anseia por luz. Talvez seja hora de mais uma vez, o mundo exterior conhecer a força massacrante dos filhos de Heironeous..."

  "Baruk Khazâd! Khazâd aimênu!" 
(Machados dos Anões, os Anões estão sobre vós!)

"(DAS ESCRITURAS SAGRADAS DE TAGANART, NA ERA DO REI TRRAUBON I, SUA LEALDADE E O PACTO DA UNIÃO CONTINENTINAL)..."

Texto: Druida Quentaro.

2 comentários:

  1. Muito bom, nobre irmão! Além de sábio druida, és também um grande conhecedor da cultura dos anões!

    E meus parabéns por teu belo Conclave. Já o adicionei ao blogroll de meus Salões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, Grande Mestre Odin!
      E sim, anões são barulhentos e irritantes, mas são criaturas valentes e dignas de nossa amizade!

      Excluir