terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Crônicas de Arendeth: Páginas Perdidas I

Lua de Outono, Dia I, Castelo Paladino.
"Volto mais uma vez do povoado... estou horrorizada. Camponeses não são páreos para aquele Troll. Embora não o tenha visto, apenas observar alguns instantes o local por onde ele espreitou me torna inquieta. Mãe, será este um mal tão grande? Olhe por nosso povo.

Hoje juntamente com um batalhão de meu pai pude tratar alguns feridos, mas nem a Luz de nossa pureza pode fazer muita coisa por aquelas pessoas. Estraçalhados, mutilados... Segundo o reporte dos homens, ele é branco como a neve, mas não possui beleza. Seu simples odor deixa os animais horrorizados. Será o cheiro de toda a ruindade que habita uma fera selvagem? Será o simples cheiro da morte? Não sei. Só sei do que aquele animal é capaz. Dizimou hoje a terceira fazenda em apenas 5 luas. Perdi a conta dos homens que sucumbiram, entre camponeses, cavaleiros e escudeiros. Conforme me confidenciou um soldado em seu leito de morte, o animal é muito veloz e os recebeu a pedras gigantes. Flechas só o enfurecem mais e não conseguem chegar perto para as armas de combate. Em uma única noite alimentou-se de grande quantidade de ovelhas como se fossem apenas pães-de-pedra. 

domingo, 1 de dezembro de 2013

Crônicas de Arendeth: Prólogo

"O mundo de Rär é defendido pelos quatro guardiões dos Deuses: Encarnações dos elementos mais importantes para a vida na forma de quatro dragões: Azmir, o guardião do ar, o grande dragão branco, Yousell, guardião da terra, O grande dragão verde,  Plithar, guardiã da água, a temida dragão-fêmea azul e por fim Fendrill, o guardião do ciclo de vida e morte, o dragão negro! Além do equilíbrio do mundo de Rär, os Deuses são responsáveis pela defesa do grande poço sagrado da terra, localizado nas regiões áridas do extremo Sul. Segundo as lendas, este poço contém uma conexão entre a ligação dos dois mundos: o dos homens e o dos Deuses, e ali a magia flui de uma forma pura e direta. Porém, esta magia não é somente boa, e a pessoa que detivesse este poder colocaria todo o mundo em perigo.


sábado, 30 de novembro de 2013

Raças & Classes: Paladino




"Sabe-se que as forças do mal são uma horda interminável, real e extremamente perigosa. Monstros, ordens de cultistas, cabalas de necromantes e com eles todos os profanos. Sendo assim, as forças do bem contam com o seu campeão contra a escuridão na defesa das causas justas e dos inocentes: A luz do Paladino. Imagine que nos exércitos da luz, o paladino é a frente de batalha. Imagine desta forma: enquanto o clérigo é um servo dos deuses, o paladino é o soldado dos deuses - um guerreiro santo, guiado por nobres ideais de
lei e ordem. Guerreiros sagrados, que recebem poderes de divindades benignas com a missão de expurgar toda e qualquer forma de mal no mundo. 

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Prólogos de Personagem: Necromante

Arte: Gryphart 



Em meados de 1879, O grande Barão Vladslav senhor dos Feudos Bretões vê sua esposa dar á luz a seu herdeiro único, detentor das armas da família, Samael Vladslav. O Barão Vladslav era um homem sério, culto, admirava nas pessoas a inteligência e a honestidade. Sempre muito bom,  empregava a todos que batiam a sua porta pedindo por emprego ou até mesmo fugindo das guerras bárbaras e vikings que assolavam a bretanha neste perídio de pré-anarquista feudal. Vladslav também detinha muito do respeito das tropas bretãs pois dava o incentivo aos soldados, como carne de seus rebanhos e os uniformes forjados pelas pessoas a quem dava abrigo. Vladslav era detentor das técnicas de batalha de seu Tataravô Victorius, onde a fortificação da mente e do espirito era desenvolvida de forma única. Técnicas estas passadas de geração a geração entre os Vladslav.
Samael viveu entre a luxúria e o respeito, aprendendo as técnicas da família,  a amar o próximo e a tratar as mulheres como deusas, independentes de raça, cor e crédulo. Apesar de toda a bondade de Vladslav, Foi Margarett, sua mãe, a quem lhe serviu a inspiração. Vladslav como todo o o Feiticeiro, ensinou tudo a seu filho durante seu crescimento: As técnicas da família,  Política, anarquismo, história, tácticas de guerra! Porém, o que realmente começou a encantar Samael foram os livros sobre ilusionismo...

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Diário do Patrulheiro - Dia II do Prenuncio de Outono.

Arte: anthonydevine

"Assim, ele puxou o cordel, imóvel, como se fosse apenas mais uma ramificação daquele carvalho gigante! Embora fosse obrigado ao movimento, era como se não estivesse ali...
-Mais alguns passos, pensou... apenas mais alguns passos! Sabia que os glamoth estavam muito no limite de seu alcance, e um erro poderia custar um sobrevivente. Isso era inadmissível para ele, ou qualquer outro de seu povo!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Raças & Classes: Patrulheiros


A ideia de um patrulheiro ou "Ranger" é alguém que é independente, livre da monotonia de uma vida na cidade lotada, ou que não se acostuma muito a um mesmo local! Existem basicamente dois caminhos para patrulheiros, que vou abordar de forma independente, e acho que é melhor entendido utilizando as duas raças geralmente mais favorecidas: Elfos e Humanos! Porém, isso não impede que demais raças sejam usadas e que você não possa ser um patrulheiro da natureza com um humano e vice-e-versa, até porque o que varia, é simplesmente o estilo de vida e não as habilidades.


segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Raças & Classes: Caçador de Demônios


"Os que se intitulam caçadores de demônios geralmente são crias de algum acontecimento brutal com sua família e amigos, que criam forças para "reviver", enterrar seus conhecidos e aprimorar-se até a hora da revanche. Geralmente quando isso acontece, eles esperam preparados. Caçam geralmente por locais isolados, em uma passagem ou outra por casas e povoados e vivem nas fronteiras, longe das jurisdições e problemas com as nações a procura de viajantes suspeitos e sombras que vagueiam buscando por vida. 

Geralmente, são caçadores solitários pois se dividem pelo fato de serem poucos, assim abrangendo uma maior extensão de terra com as vistas de caçadores, porém sempre que possível, trocam informações sobre rastros e criaturas que vagueiam, onde algumas vezes acabaram-se por se juntar para a exterminação onde existem criaturas abissais em número elevado. Geralmente os que acabam sendo eleitos para comporem esta ordem são justamente pessoas que obtiveram este trauma em alguma época de sua vida.

domingo, 24 de novembro de 2013

Nasce uma sombra... Final

"E assim a história da garota se perdeu no tempo... Nunca mais ouviu-se falar da pequena Annya. Ainda em seu povoado as pessoas contam as mais diversas histórias, desde que ela foi raptada por bruxas para rituais de além mundo, outros dizem que a garota foi possuída por demônios e matou sua família, outros ainda contam que ela fugiu naquela noite e foi vista correndo nua com lobos pela floresta nas noites de lua cheia por diversas vezes. 

Uma certa vez, do outro lado do continente do povoado da triste história da garota Annya, um explorador que vagava pela floresta encontrou um casebre abandonado em meio a floresta, já quase ruido e desabitado a anos, pelo o que parecia! Nele encontrou algumas páginas amareladas que continham uma história muito antiga! O pouco que o homem conseguiu ainda ler, segue-se abaixo...

"Hoje fazem oito ou dez anos que eu o vi pela primeira vez aqui nesta cabana. Eu o chamava de corvo, pois se negara a me dizer seu nome. Dizia que não existia, não era ninguém e geralmente me castigava quando eu o interrogava sobre isso. pPorém algumas vezes enquanto ele sonhava eu o ouvia dizer um nome... "Haldir", ele dizia.

...

"Fui ensinada a suportar a dor, a não temer o frio e a fome, a locomover-me como a sombra, sem fazer sons e sem ser vista. Fui treinada na arte das adagas, por meu tamanho pequeno, e poucas vezes utilizei a espada. O negro se tornou minha vida, e a noite minha companheira. Possuía amizade apenas com um corvo que cismava em me seguir, Sussurro, eu o chamava. Meu fiel companheiro de todos os dias"

sábado, 23 de novembro de 2013

Raças & Classes: Bárbaros


Bárbaros eram originalmente chamados todos os povos que viviam em sociedades fora das cidades, geralmente em acampamentos ou aglomerações afastadas da civilização. Praticamente todos os continentes possuíam suas tribos e clãs: de desertos a florestas,  de montanhas a pradarias e além dos mares conhecidos. Eram notados primeiramente por seus hábitos selvagens. Viviam em lutas tribais pelo domínio de tribos rivais e domínios territoriais, onde geralmente não se envolviam nos problemas dos homens, a menos que seu local de existência ou algum membro de seu clã fosse ameaçado. Cada tribo ou clã possuía um líder, e este não era eleito. Qualquer um poderia assumir o comando, desde que em combate singular derrotasse o líder ordinário. Poderiam ser tanto homens quanto mulheres. 

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Nasce uma sombra... Parte III

"Annya acordou de um sono reconfortante, não lembrou de tudo o que acontecera pois estava reconfortada, quente e limpa, suas feridas estavam cobertas com alguma folha que lhe dava uma leve ardência. Examinava o pulso amarrado quando ouviu o crocitar do corvo. Não pensou em quanto tempo ali estivera, não pensou por quanto tempo dormira.
Sentou-se assim na cama de bambus, olhando em volta, sem saber onde estava. Era um quadrado simples, feito de madeira rústica. Não havia mobília, apenas sua cama no chão, logo abaixo de uma janela, e um banco ao lado de onde o animal a estava observando com seus grandes olhos vermelhos em sua cabeça torcida para o lado. Mais ao lado havia o que parecia ser uma porta, coberta com uma cortina desbotada, com um branco já amarelado do tempo, puída na parte de baixo! Ao levantar-se, notou estar de roupas negras de couro, justas ao corpo. Apalpou-se por um instante e então notou que sua cabeça estava leve. Seus cabelos negros e compridos haviam sido cortados, estava com um corte muito curto, rente á sua cabeça. Não entendia nada e um breve aperto correu em seu peito.

Rumou então para a cortina, e a abriu uma fresta, espiando para a outra sala. Era outro cômodo simples e sem mobilha nenhuma, apenas outra cama de bambu estava a um canto, porém notou que a porta era de madeira, e estava aberta dando vista para um gramado viçoso. Criou coragem e passou pela cortina, onde uma sombra negra surgiu na porta. Assustou-se e apertou as mãos contra o peito. Era um homem esguio, com vestes negras justas ao corpo, e uma espécie de máscara que lhe cobria o rosto até a altura do nariz. Trazia um coelho que esperneava pendurado pelas orelhas em uma das mãos e um arco curto na outra. Annya ficou paralisada ao ver aquela cena, não conseguia correr, nem mesmo falar. 

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Nasce uma sombra... Parte II

"Annya acordou-se com o crocitar de um corvo sobre a janela que batia aberta com o vento, e o frio daquela manhã com a primeira chuva do inverno. Seu corpo doía muito e sua garganta estava como se não bebesse água por dias... Sentiu então que suas mãos repuxavam, ela então olhou-as, e levantou em um pulo ao ver o sangue seco de seu pai sobre elas. Foi então que tudo voltou a sua mente como um raio e suas lágrimas foram incontroláveis.

Recompôs-se e correu para o corpo de sua mãe, mas nada podia fazer... o pior havia ocorrido a horas, e ela sabia disso. O corvo continuava a crocitar, e ela o ouviu balbuciar por duas vezes "assassina". Neste sentimento, ela então desabou mais uma vez e o animal continua com aquele crocitar, agora infernal e assustador aos ouvidos de Annya. Em seu desespero começou a gritar:
"-Xô, Vá embora, me deixe em paz..."
Mas o animal não parava. Mais uma vez crocitou 
"-Assassina"...
"-Eu não sou uma assassina, não sou..., dizia Annya em lágrimas"

A desolação de Smaug: Mapa Interativo do Google


A empresa Google lançou hoje um novo site interativo para Chrome chamado A Journey through Middle-earth e inspirado no filme The Hobbit: The Desolation of Smaug. 

Imagem: Divulgação

Com gráficos 3D, o mapa permite explorar a Mata dos Trolls, a cidade élfica de Valfenda e a fortaleza de Dol Guldur. Em breve, novos locais serão adicionados. Ele se assemelha muito ao aplicativo Google Earth, ao qual você pode visualizar localidades, mas também trás resumos e informações sobre as criaturas que habitam determinada localidade. O mapa é ideal para fãs que gostam de se aprofundar cada vez mais nas histórias do fantástico mundo criado por Tolkien.

A “Jornada pela Terra Média” foi desenvolvida pela North Kingdom, em parceria com a Warner Bros, New Line Cinema e MGM Pictures. O site está disponível tanto em computadores, como em tablets e smartphones.

Acesse : middle-earth.thehobbit.com


Fonte: Adaptado de O Globo

Nasce uma sombra... Parte I

"...Chorava tremendo em silêncio, com seus olhos estalados espiando por baixo da pele de cabra que a cobria naquela noite fria! Não sabia o que fazer, era ainda uma criança. inúmeras vezes vira seu pai embriagado chegar em casa, bravo por perder nas mesas de dados, ou porque não arranjava comida, ou até mesmo por não ter motivos para estar bravo. Mas naquele dia foi diferente... não sabia o que fazer! 

Aquela cena á frente da lareira crepitante projetava as sombras sobre a madeira podre que era a proteção de sua casa. Via seu irmão menor, gemendo com uma adaga atravessada em seu peito, com seu corpo franzino caído aos pés do pai, e aquela sombra gigantesca agarrando sua mãe pelo pescoço elevando-a do solo a quase meio metro de altura. Gemendo, rosnando, como uma fera, uma melodia fúnebre comparada aos gemidos de sua mãe que lutava com bravura aos tapas e chutes por sua vida. 

Então gritou, ao ouvir aquele som de algo quebrando ou estalando e o corpo inerte de sua mãe pendendo daqueles braços fortes e sujos. Ele a soltou ao chão como quem solta o corpo de alguma caça ao terminar a esfola. E assim, pisou por cima deste e deslocou-se até aonde estava Annya, que, apavorada agarrou-se nas peles e espremeu-se contra a parede, sem nada o que fazer. Com uma mão arrancou-lhe as peles e com a outra agarrou-lhe também o pescoço e a levantou... Ao mesmo tempo que atirou-a  em um grito monstruoso, e virou-se com fúria! 

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Raças & Classes: Humano Necromante

                                                   Arte: Ironshod


A necromancia é a arte que consiste na consulta ou evocação de mortos, ou também na retirada da vida. Necromantes são geralmente humanos ou criaturas que dominam o dom da vida e da morte, porém humanos geralmente não nascem com este dom. Nesta postagem vamos nos ater á raça humana. Para entender a arte da necromancia são necessários anos e anos de estudo sobre estas artes ocultas. Existem magos que geralmente estudam ambos os caminhos e possuem assim o dom da vida e da morte, porém devemos salientar que geralmente quem segue mais de um caminho levará muito mais tempo para aprofundar-se nos caminhos do que aqueles que escolhem apenas uma via. 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Diablo III: Reaper of Souls

"Uma presença mais sinistra que qualquer demônio paira sob Santuário… Ele assistiu das sombras quando um herói da linhagem Nefalem destruiu Diablo e aprisionou o Senhor Demoníaco na Pedra Negra das Almas. Ele esperou em silêncio enquanto os exércitos mortais de Santuário esmagavam os remanescentes do Inferno Ardente, enviando-os para os ventos causticantes do Kehjistão. Agora, com a esperança florescendo novamente, sua longa vigília termina. Envolto em mistério e imbuído com um poder tão antigo como o universo, ele está chegando para o já abalado mundo de Santuário. Ele não pode ser impedido. Não há escapatória. Neste despertar, somente a morte irá prevalecer."

"A Morte finalmente abrirá as asas sobre todos..."


Na minha humilde opinião, como um jogador desde do Diablo I e as muitas mortes ao som de "Fresh Meat", venho expor alguns pontos sobre o Reaper of Souls, expansão de Diablo III que irá "levar as moedas do meu cofrinho". Eu, como muitos jogadores, achei Diablo III muito pouco sombrio. Os cenários pouco góticos e a opção de compra de itens com dinheiro real acabaram com a nostalgia de jogar horas a finco para encontrar itens lendários. Joguei por horas, conclui meus paragons Demon Hunters, mas pela história e a nostalgia. Faltava aquele algo a mais. Eis que surge então, Reaper of Souls, que promete trazer de volta todo o horror e a escuridão dos outros jogos da saga!

Pra mim, os pontos positivos são as novas opções de jogo, o personagem novo e o que virá (Que, pelo o que percebi, a população em massa assim como eu anseia pelo retorno do Necromante).
Mas o que achei mais confiável, que a Blizzard realmente quer se retratar, foi que enviaram aos jogadores um questionário, abordando a opinião destes acerca de Diablo III. Neste ponto, acho que eles tem tudo para ouvir a massa e fazer como esperamos! O bom e velho diablo de antes. Como ponto negativo, segundo as especulações a expansão sairá ao mesmo preço do jogo original, um pouco cara.
Mas vale a pena cada moeda, e acho que no fim os prós são muito superiores aos contras.

Pois bem senhores, assim me despeço, pois devo mais uma vez retirar minhas flechas da alijava e reiniciar minha caçada aos demônios.

Maiores informações no site oficial.

Abraço!



Prólogos de Personagens: Orc Vanguardeiro

Arte: mihairadu

"A simples menção do nome de Orz'ah é capaz de causar nem que seja por um instante a relutância no mais bravo dos guerreiros! Orz'ah é o espírito de uma fera selvagem contida no corpo de um ser monstruoso, feroz, e que não teme a vida ou a morte. Estes fatores aliados á sua exímia destreza em batalha deram-lhe o posto de vanguardeiro das colunas de  Snarlbolgradolg, o exército negro dos montes cinzentos. Por muitos anos Orz'ah fora o vencedor das batalhas que participara, esmagando crânios, decepando braços e arrancando pernas. Foram anões, elfos, trolls e humanos empilhados lado a lado por cada batalha que travava. 

Porém, nem todos possuíam a bravura e o tino deste guerreiro. Orz'ah estava obstinado a mostrar-se o melhor guerreiro do mundo e começou a rumar cada vez mais longe de Snarlbolgradolg para enfrentar heróis de renome, e assim, rapidamente suas tropas foram sendo dizimadas, quer fosse pelas batalhas, pelo frio ou pela fome e sede. 

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

The WItcher 3: Wild Hunt

"The Witcher" pelo escritor polonês Andrzej Sapkowski é uma série de fantasia de contos recolhidos em dois livros e seis romances sobre o witcher Geralt de Rivia. Nos livros de Sapkowski, witchers são caçadores de monstros que recebem treinamento especial e têm seus corpos modificados em uma idade precoce para melhorá-los com habilidades sobrenaturais para que eles possam lidar com monstros.O jogo é um clássico RPG solo, porém com gráficos bem desenvolvidos e uma realidade "in game" muito evoluída. Eu Joguei o 1 e o 2, e estou no aguardo da pré-venda do terceiro, o Wild Hunt. Aconselho para quem gosta de muita realidade nos detalhes de trama e opções de jogabilidade podendo alterar totalmente a trama conforme toma as suas decisões.

Abaixo o vídeo da terceira edição!

Abraço!



A Irmandade: Parte I - O Julgamento


                                                        Arte: zzytudou

--Silêncio todos, seus animais...


*PAF* - fez a grande mão de Lorde Maximilian ao bater sobre a mesa do tribunal improvisado em um velho curtume nos arrabaldes da cidade...

Ele estava em pé e ofegante... Seus olhos estavam estalados e ele babava de fúria exibindo seus caninos grandes e amarelados pelos charutos que fumava em demasia quando nervoso. Sua camisa encharcada de suor e negra de sujeira colava-se a seu corpo, definindo ainda mais a musculatura oriunda da vida pesarosa que sempre tivera, o que aumentava ainda mais a ideia de ser monstruoso que era.
Samael largava o pescoço do jovem que estava amarrado sobre uma cadeira ao meio do salão, ajeitando seu fraque e seus cabelos, penteados para trás. Concentrava-se assim para ignorar a pulsação das veias no pescoço do rapaz, instigando seu espírito animal. Naquela época Samael já era um anarquista pensador, era um jovem, transformado na plenitude de seus 26 anos. Gostava de discussões fervorosas sobre políticas e outros conceitos complexos do mundo, e a educação sempre fora seu ponto forte. Porém após algumas noites ao lado de amigas Brujahas lhe apeteceram ganas, de bater e depois perguntar.


sábado, 16 de novembro de 2013

O contrato final - Parte I

Escutava apenas a chuva em sua armadura... Tamborilando ela escorria vermelha por seu nariz ao abandonar seu elmo, enterrava seus pés até a metade juntamente com a mão esquerda que tocava o chão ao deslizar pelo solo negro e fértil da margem da floresta. Fitava o vazio com seu olhar, apenas se recompondo sobre um joelho. Notava de certa forma, a beleza de sua respiração ao materializar-se de encontro ao frio daquele alvorecer de inverno.

                                                         Arte: artisticphenom

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Diário do Patrulheiro – Dia I do Prenuncio de Outono.

                          Arte: Boob squeeze


"Um longo aspirar... Um expirar maior ainda!
Tão sutil que um mero bailado de folhas ao vento poderia abafar o som...
Ajoelhado sobre aquele galho largo de Pinheiro Majestoso, era invisível em sua túnica leve, e sua pintura de guerra vermelha, riscos horizontais grossos que recobriam somente seus olhos, contrastando com as folhas rubras prenunciantes do outono que se chegava... Lento como o andejar de um pastor de ovelhas!

Prendeu assim, sua respiração!
Ao passo que levantava seu arco longo, já com a flecha em seu cordel.
Era um defensor do norte, era simplesmente o nada da sombra da vida da floresta. Não podia errar. Não podia ser visto. Não podia existir. Preceitos básicos que aprendeu enquanto ainda era um mero iniciado, sobre os olhos rudes dos grandes senhores de Nárëhyarmen (Fogo do Sul)!

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Prólogos de Personagens: Anão Guerreiro


                               Arte: boblea


Trraubon Primeiro
"...Atual líder do Reinado de Taganart, fundado por Kurak Trraubon, seu avô e pai de seu pai Trraubon Flagelo dos Orcs, localizado entre as florestas de All'ünil e os penhascos de Chapuvak antes dos desertos escaldantes do mar amarelo. Trraubon Primeiro, assim batizado por seu pai Trraubon Flagelo dos Orcs, por ser o primeiro dos filhos reais nascidos em seu atual reinado, hoje no auge de sua maturidade, é conhecido por vários povos como detentor da "maior honestidade já contada pelos livros de histórias". Um nobre e fiel senhor. Trraubon Primeiro apenas tem a preocupação de manter o reinado de Taganart no eixo. Seus guerreiros são treinados desde que atingem idade mínima, com o manuseio de machados e martelos de guerra, e aprendem que sua resistência e vigor físico são a maior de suas armas. Um velho ditado em suas muralhas diz que "um anão que é uma arma pode matar 100 orcs e depois cair de joelho, mas um anão que é uma rocha verá mil orcs ajoelharem-se perante sí!".

Herores of The Storm

Neste dia 8 de Novembro, durante a BlizzCon 2013, a Blizzard Entertainment apresentou o trailer de seu mais novo jogo. Heroes of the Storm foca na disputa online entre equipes, estrelando alguns dos personagens mais icônicos da Blizzard. Para saber mais, visite http://HeroesOfTheStorm.com/.



O canto da despedida dos inquisidores*

Como primeira postagem, o cântico que é entoado no adeus aos inquisidores do equilíbrio da estrela do Sul, em sua despedida carnal para retornarem á natureza em sua forma mais pura, ou seja, de alma!


"O vento então parou....
E abrindo seu peito, um Urutau solitário para a lua cantou...!
Todos os teus filhos já sabem, sim, os filhos com certeza...
Que embora surja esta tristeza, este é teu desejo, minha mãe natureza!


O vento então parou...
Para ver partir mais um que por ti, sempre lutou!
Para ver partir nosso herdeiro...
Muito além de irmão, um guerreiro!
Que embora surja esta tristeza, este é teu desejo, minha mãe natureza!

O vento então parou...
Juntou-se aos irmãos lobos, ursos e tantos outros!
Para verem esta alma, de um dos poucos,
Que por ti jurou amor, e assim continuou!
Que embora surja esta tristeza, este é teu desejo, minha mãe natureza!

O vento então parou...
Pra te ver levar esta alma guardiã...
Que te teve por vida, mãe e irmã...
Enquanto seu carvalho resplandeceu, farfalhando na brisa de cada manhã!
Que embora surja esta tristeza, este é teu desejo, minha mãe natureza!



O vento então continua...
Por entender este ciclo da vida...
Pra nascer mais um druida,
Outro deve dar adeus...
Voltar ao pó, mesmo dos seus...
Na cruz em que canta o Urutau!
Renasce então, mais um imortal!
Neste teu ciclo, irmã terra, irmão vento e irmã lua, filhos da mesma mãe natureza!"


Autor: Druida Quentaro.


*Postado pela primeira vez em contribuição ao bravo Odin em seus salões de Valhalla.